Pirâmide de Maslow

De acordo com José Luiz Hesketh Maria T. P. M. Costa (Balloun, 1973, p.59)

"A teoria de Maslow tem influenciado o trabalho de diversos estudiosos do
comportamento humano em organizações, tais como McGregor (1960), na
formulação de sua teoria x e y de estilos gerenciais; Argyris (1964), em seu
trabalho sobre conflitos e a organização, no qual o conceito de auto-
realização de Maslow teve um papel importante; e ainda Viteles (1964),
Leavitt (1964), Schein (1965) e Haire (1964). Contudo, sua teoria não se trata
de uma teoria do trabalho, apesar de sua preocupação em relação à
motivação do homem em organizações (Maslow, 1943, 1963, 1973). Esta
preocupação está voltada para as condições das organizações, os tipos de
gerência e recompensas que poderão conduzir o homem a um crescimento
em direção a sua auto realização."

 

O que é a pirâmide de Maslow:

        A Pirâmide de Maslow ou a Hierarquia das Necessidades de Maslow é um conceito criado pelo psicólogo norte-americano Abraham H. Maslow na década de 30, que determina as condições necessárias para que cada ser humano atinja a sua satisfação pessoal e profissional.

        De acordo com a teoria, os seres humanos vivem para satisfazer as suas necessidades, com o objetivo de conquistar a sonhada autorrealização plena. O esquema descrito na Pirâmide de Maslow trata justamente da hierarquização dessas necessidades ao longo da vida do ser humano.

        A Pirâmide é dividida em cinco níveis hierárquicos, cada um formado por um conjunto de necessidades. Na base, estão os elementos que são considerados por Maslow primordiais para a sobrevivência de uma pessoa, como a fome, a sede, o sexo e a respiração. Segundo o teórico, para progredir na hierarquia é necessária a conquista das condições elementares da Pirâmide, passando para os próximos níveis, um a um, até alcançar o topo.

 

Descrevendo cada uma das etapas, possuimos:

  • As Necessidades Fisiológicas podem ser classificadas como necessidades básicas. Ou seja, as demandas que o ser humano possui de se alimentar, comer e dormir. Para Maslow, essas necessidades precisam ser cumpridas a fim de que a pessoa passe para outro estágio.
     
  • Já o setor de Necessidades de Segurança é compreendido como o segundo nível de hierarquia, no qual varia entre segurança em casa e até mesmo âmbitos mais complexos, como no trabalho, com sua saúde e outros exemplos.

  • No terceiro nível da pirâmide se encontram as Necessidades Sociais, as quais englobam âmbitos como o desejo de se sentir incluído em um grupo social. Ou seja: ter amigos, afeto, parceiros. Ser sujeito à costumes de determinado grupo.

  • Entende-se a etapa de Necessidades de Autoestima como a demanda pela
    aceitação dos outros e realização própria.

  • Necessidades de Autorrealização, como topo da pirâmide é compreendido como a satisfação plena do indivíduo com o controle de suas ações. Neste estágio, a pessoa é completamente independente de fatores externos para se sentir valorizado e consegue/ acredita que é apto para fazer o que quiser e se sentir satisfeito completamente.

        De acordo com a descrição acima, aferimos que a pirâmide classifica as necessidades entre as mais básicas e aquelas que são mais rebuscadas. Ou seja, todas são necessidades as quais o ser humano possui, porém, ele apenas é motivado a satisfazer uma quando a anterior já foi cumprida.

Sendo assim:

  1. Para que o indivíduo se encontre em um estágio acima do outro, ele precisa ter completado nem que seja em partes uma etapa.

  2. As necessidades de autorrealização em sua maioria não conseguem ser saciadas. Uma pessoa nunca está completamente satisfeita consigo mesma ou com a obtenção de algum produto. O ser humano não é materialista, ele sempre estará em busca de algo maior e melhor que vá atender seus desejos os quais também estão sempre mudando/ crescendo.

  3. Uma vez que determinados elementos de um ponto da hierarquia são conquistados, o indivíduo se sente motivado a atingir mais objetivos. Porém, é importante lembrar que seus objetivos nunca vão cessar. A todo momento surgem novos objetivos movidos por novas necessidades.

  4. As necessidades insatisfeitas, ou seja, que não conseguirem ser cumpridas, implicam reações negativas no comportamento do indivíduo, como frustrações, medos, angústias, inseguranças e etc. 

     É importante destacar que esta ferramenta foi desenvolvida para impactar o gerenciamento de pessoas, porém, cada pessoa classifica suas necessidades de uma maneira personalizada baseada em suas motivações e realizações. Muitas vezes, costuma-se dizer que a pirâmide é invertida, pois cada ser humano classifica suas necessidades de uma forma personalizada. 

     De certa forma, ela também é utilizada no marketing com algumas ressalvas a fim de entender qual o comportamento e motivação dos consumidores.

        Ao relacionar a Pirâmide de necessidades com as motivações as quais movem o comportamento dos consumidores, percebemos que a função do profissional de marketing é atender os desejos dos consumidores. De fato, todos os desejos partem da premissa de que são necessidades desenvolvidas, como exemplo, a pessoa que sente sede possui a necessidade de se hidratar, porém, tem o desejo de matar sua sede com Coca- Cola. Sendo assim, é possível compreender algumas singularidades da hierarquia. Além disso, é importante ressaltar que diferentes consumidores possuem diferentes necessidades.

        Após a construção de sua Pirâmide, Maslow mesmo assim ainda foi capaz de identificar mais duas necessidades que se encaixam no setor de Auto Realização e as nomeou como cognitivas. A primeira é a necessidade de conhecer e compreender o mundo a sua volta. Sendo assim, está incluso neste âmbito a necessidade de entender como o universo funciona, e a natureza. Não obstante, a segunda necessidade o autor classifica como a necessidade de satisfação estética, a procura pela perfeição, simetria, beleza, etc.

Por fim, a ferramenta criada por Maslow é aplicada da seguinte maneira:

  • Base: necessidade de horários flexíveis, descanso físico e mental;

  • 2º nível: necessidade de segurança no trabalho, bom salário e garantias de
    estabilidade;

  • 3º nível: construir amizades e boas relações com os chefes no ambiente de trabalho;

  • 4º nível: manter um feedback com a empresa, ser reconhecido pelos resultados que apresenta, receber promoções e aumentos de salário ao longo da carreira;

  • Topo: Influências nas decisões, ter autonomia no trabalho;

        Resumidamente, a Pirâmide foi construída para gerenciar pessoas partindo da premissa de que as necessidades são hierarquizadas da mesma maneira. Porém, diferentes pessoas possuem diferentes necessidades, logo, diferentes consumidores, possuem diferentes motivações. Sendo assim, quando utilizada para entender o comportamento dos consumidores no marketing, esta não é de fato uma referência, uma vez que pode ser personalizada de acordo com cada pessoa.

        Referências:
        http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-75901980000300005
        https://www.significados.com.br/piramide-de- maslow/

Camila Viguier

Consultora de Recursos Humanos na ESPM Jr.

Estudante de Publicidade e Propaganda na ESPM-RJ

 

20 anos, carioca de coração, adora viajar e descobrir coisas novas. Gosta de autenticidade e tem uma paixão inexplicável pelo marketing e pela moda. Não tem medo de se expressar e se jogar em seus sonhos, além de ser muito dedicada à vida acadêmica.

CONTEÚDO VALIDADO!
Professor de Marketing na ESPM-RJ

One thought on “Pirâmide de Maslow

  1. Responder
    Viviany - 20 de setembro de 2017

    Interessantíssimo! Respeitar a individualidade e conhecer as demandas de cada indivíduo é o grande desafio de nossa sociedade. Parabéns pelo excelente artigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *